“Esquece esse lance de mudar por alguém. As pessoas que gostarem do seu jeito se aproximarão, e as que não gostarem se afastarão, é simples.”
Renato Russo.   (via a-fterstorm)


“Mas se eu nunca servi pra te fazer feliz, o que eram todos aqueles sorriso?”
Mônica Tavares  (via verbeais)


“Espero que um dia você olhe pra mim e pense: Cara, porque eu deixei algo tão valioso assim ir embora? Como sou idiota.”
 Mallu Moraes.  (via revejo)

“— Eu queria me desculpar.
— Ótimo.
— Deixe-me acabar. Eu disse que queria. Mas percebi que não lamento.
— Você preferia morrer a ser humano. E espera que eu concorde?
— Não disse isso, só que não lamento. Mas sabe o que realmente sou? Egoísta. Porque fiz escolhas ruins que te magoaram. Sim, eu preferiria morrer a ser humano. Preferiria morrer agora a passar vários anos com você para perdê-la quando estiver velho e você ainda ser você. Preferiria morrer agora a passar meus últimos anos lembrando como era bom e como eu era feliz. Porque eu sou assim, Elena. E não vou mudar. E não há desculpas no mundo que englobe todas as razões de eu não ser o cara certo para você.
— Tudo bem. Mas eu também não lamento. Não lamento ter te conhecido. Nem que isso tenha me feito questionar tudo. E na morte, é você quem mais faz com que eu me sinta viva. Você tem sido uma pessoa horrível. Você fez todas as escolhas erradas. E de todas as que já fiz, esta deve ser a pior, mas não lamento estar apaixonada por você. Eu amo você, Damon. Eu amo você.”
The Vampire Diaries.  (via revejo)


“Se eu disser que saudade é a melhor resposta que tenho para dizer o quanto te amo, estarei mentindo, ou ocultando o que realmente sinto.”
I’m not idiot. (via revejo)


“— Meu nome é Hazel. O Augustus Waters foi o grande amor estrela-cruzada da minha vida. Nossa história de amor foi épica, e não serei capaz de falar mais de uma frase sobre isso sem me afogar numa poça de lágrimas. O Gus sabia. O Gus sabe. Não vou falar da nossa história de amor pra vocês porque, como todas as histórias de amor de verdade, ela vai morrer com a gente, como deve ser. Eu tinha a expectativa de que ele é quem estaria fazendo meu elogio fúnebre, porque não há ninguém que eu quisesse tanto que…— Comecei a chorar. — Tá, como não chorar. Como é que eu…Tá.
Respirei fundo algumas vezes e retomei a leitura.
— Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei se uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Um escritor de quem costumávamos gostar nos ensinou isso. Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter, e, por Deus, queria mais números para o Augustus Waters do que os que ele teve. Mas Gus, meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso.”
A Culpa é das Estrelas. (via revejo)